Arquivo da tag: Ausência Limites

A Cultura da Permissividade

Há um conceito ideológico, cada vez maior no Brasil, em favor de uma cultura permissiva. Nos últimos 20 anos nossas leis, nossa educação e nossa moral tem se movido em direção a permissividade.

Nas escolas está cada vez mais difícil um aluno ser reprovado. Mesmo que ele tenha um desempenho baixo e com notas ruins. Os professores são orientados a aprovar mesmo sem méritos, afinal, dizem os arautos deste modelo, reprovar um aluno  faz mal a sua auto estima. Adolescentes e jovens usam drogas normalmente em qualquer espaço público, com a total tolerância das autoridades. Respeito por mais velhos e autoridades é cada vez mais raro.  O número de gravidez na adolescência é cada vez maior. Crianças começando a se envolver com crime cada vez mais cedo. Manifestantes saem às ruas em protestos promovendo quebra-quebra, enquanto a força policial assiste passivamente  a depredação do patrimônio público e privado. Uma imensidão de pequenos delitos são cometidos e nada se faz para puni-los, pois as forças de segurança precisam se dedicar aos grandes crimes de repercussão nacional. Enfim, estamos imersos numa cultura de permissividade. Enquanto a tolerância cresce os limites diminuem.

A mais nova ação em favor da cultura da permissividade é a Lei da Palmada, aprovada na Câmara dos Deputados no dia 21/5/2014. Essa lei não irá prender ou punir o pai que prosseguir dando palmadas em seus filhos, o máximo que ocorrerá serão advertências e encaminhamentos para serviços psicológicos. O Estatuto da Crianças e Adolescente já prevê as punições para os pais ou responsáveis que usarem de violência ou abuso contra seus filhos.  Portanto, não se trata de uma lei punitiva, mas sim ideológica, onde seu principal objetivo é promover um novo jeito de educar, baseado na seguinte equação: menos limites e mais permissividade. Ao invés da vara ou do chinelo tenha mais paciência e compreensão com seus filhos.

Uma outra mensagem que essa lei ideológica transmitirá é que todas as gerações anteriores a essa lei estavam erradas na maneira de educar seus filhos. A palmada representa o atraso e o obscurantismo educacional, enquanto que este novo conceito de educação representa o avanço da sociedade.

Estou convencido que por traz de tanta criminalidade está uma cultura de permissividade, cada vez mais hegemônica em nossa sociedade. Não iremos melhorar nossos indicadores de qualidade de vida, enquanto não revermos isso.  Urge, que nossa educação tanto em casa, quanto na escola, seja mais firme e incisiva em estabelecer limites, deveres e punições, caso contrário, a impunidade, a delinquência e o caos seguirá crescendo.

Vara