Arquivo mensais:agosto 2017

O que toda Criança Deveria Aprender com seu Pai

Creio que no plano ideal de Deus para a humanidade, toda criança deveria nascer numa família, onde pai e mãe fossem boas referências e cuidadores amorosos. Ninguém deveria crescer fora de um ambiente familiar funcional.

Ainda refletindo sobre o “modelo ideal”, creio que todo filho deveria ter seu pai como seu primeiro pastor, educador e juiz .

Primeiro pastor porque as Escrituras apresentam o homem como sacerdote do lar e líder espiritual da família. Quando o pai desenvolve esses papéis, a criança irá aprender desde cedo a viver o Evangelho na prática.

Primeiro Educador porque a educação e a formação para a vida iniciam em casa. É no ambiente do lar que a criança pode desenvolver o amor pelos livros, o gosto pelos estudos e aprender diferentes habilidades e valores para sua vida.

Primeiro Juiz porque é atribuição de cada pai ensinar seu filho sobre limites, desenvolvendo seu caráter e sua ética. Filhos que são disciplinados pelos seus pais, possuem melhores chances de não precisarem ser disciplinados por autoridades policiais e judiciárias.

Como escrevi no começo isso seria o plano ideal. Alguns filhos tem o privilégio de crescer com um pai que possui tais características. Alguns pais poderão se empenhar em cumprir tais funções. Mas o que fazer quando isso não foi possível acontecer???

A graça de Deus se manifesta de muitas formas, por isso, mesmo quando o plano ideal não se concretiza, um novo plano é desenvolvido. Quando uma criança cresce longe de seu pai ou perto de um pai que não cumpre tais funções, Deus usará outras pessoas para serem referências de uma espiritualidade saudável e de uma boa  formação educacional, moral e ética. Quando um pai falha, Deus coloca uma outra pessoa em nosso caminho para nos ajudar, afinal “As pessoas aprendem umas com as outras, assim como o ferro afia o próprio ferro” Pv 27.17.

Quem sabe Deus não irá usar sua vida para ajudar pessoas que cresceram longe de um pai, que precisam de boas referências de fé, integridade, trabalho e amor. O Novo Testamento mostra que podemos ser Pais na fé de alguém, que talvez precise de uma nova referência paterna em sua vida. Estou comprometido em ser um pai com essas funções para meus filhos biológicos e filhos na fé. E você??

pai

Entender para Crer ou Crer para Entender?

O pensamento teológico cristão vem sendo desenvolvido a mais de dois mil anos. São séculos de reflexão teológica profunda, onde mentes brilhantes foram sistematizando a doutrina cristã. Ao estudar a construção das bases da fé do cristianismo surge a seguinte questão: precisamos entender para crer ou crer para entender? Esse debate não é recente e segue sendo atual.

Vamos refletir a respeito dele, através de um exemplo. Nos três primeiros séculos da cristandade muito se debateu a respeito da divindade de Cristo. A ortodoxia afirmava que Jesus era 100% homem e ao mesmo tempo 100% Deus. Mas como explicar isso?

Na tentativa de fazê-lo surgiram movimentos como Ebionismo (que afirmava que Jesus era um profeta mas não era Deus) e o Docetismo (que acreditava num Jesus que era apenas espírito, sem nenhuma humanidade).  Todos esses movimentos foram considerados hereges e rejeitados pelos pais da igreja e se diluíram com o tempo. Refletindo a respeito desta experiência, percebe-se que na busca de facilitar a compreensão humana, corre-se o risco de afastar-se dos fundamentos bíblicos, por mais difícil que seja explicar como alguém pode ser 100% homem e 100% divino ao mesmo tempo, as escrituras afirmam que Jesus era Deus (Jo 8.58) e homem (Fl 2.6-8). Assim como é difícil compreender a Trindade (um único Deus que se manifesta em três pessoas diferentes), a salvação através da morte de Jesus, a vida eterna após a morte, entre tantos outros temas.

Mas afinal, precisamos entender para crer ou crer para entender? A história revela que sempre que se busca primeiro entender para  crer, o resultado dessa escolha afastou o homem de Deus e fez com que o homem criasse para si um deus a sua imagem e de acordo com seu pensamento. Vide o exemplo das heresias dos primeiros séculos e do Liberalismo Teológico. Sempre que tentamos conhecer Deus pelo caminho da razão, nosso conhecimento será incompleto e por vezes incoerente com o texto bíblico. O caminho para conhecer o Deus revelado pelas Escrituras Sagradas, que se manifestou em Jesus Cristo, é inverso, ele requer primeiro crer para depois entender.

A fé é a lente com a qual compreendo a revelação bíblica, pois os fundamentos do cristianismo não são científicos, seus pressupostos requerem fé. Por isso precisamos primeiro crer para aí sim entender o Evangelho. Que não nos falte fé para compreender e viver os fundamentos do cristianismo!!

crer para entender