Arquivo mensais:julho 2016

Antes e Depois de Cristo

A história da humanidade divide-se entre Antes e Depois de Cristo. A influência de Jesus foi tão grande em nossa civilização, que seu nascimento é uma linha divisória em nosso calendário. Os ensinamentos do Filho de Deus estão em diversas áreas da sociedade. Sobre ética ele ensina a fazer ao próximo o que você deseja que seja feito a você; nas relações humanas declarou que devemos amar ao próximo como a si mesmo; em liderança trouxe o conceito do líder servo, ou seja, aquele que idera deve fazê-lo através do exemplo; na justiça pregou a respeito do valor da vida e de que Deus não faz acepção de pessoas;  na área social mandou cuidar dos pobres e deu atenção especial para aqueles que estavam em maior situação de vulnerabilidade, como leprosos, paralíticos, órfãos e viúvas; na família ensinou sobre casamento monogâmico e a proteção as crianças; na economia defendeu que o trabalhador é digno de seu salário e que devemos pagar nossos tributos…

O movimento que Jesus iniciou, chamado de cristianismo, influenciou nossa civilização nas mais diferentes áreas. Tal influência é resultado do exemplo e da mensagem de Jesus. Ele foi o grande referencial humano e sua mensagem ecoa por milênios.

Porém, a influência de Jesus não é apenas social mas, sobretudo, individual. Jesus continua dividindo nossa história pessoal. Minha vida, por exemplo, também pode ser dividida em Antes e Depois de Cristo. Com 18 anos, quando me tornei um cristão, o rumo da minha trajetória mudou, meus valores e estilo de vida foram modificados, meus sonhos foram outros e minha história não foi mais a mesma. Jesus mudou minha vida. Sua influência me tornou uma pessoa melhor, seus ensinamentos mudaram meu comportamento, seu amor encheu meu coração ao ponto de querer reparti-lo com outras pessoas.

Que Jesus também mude sua história. Que ele seja um divisor em sua linha do tempo, para que um dia você possa cantar essa canção, com a mesma alegria que canto:  “me perdi, mas Deus me achou, cego fui, mas me curou; sua graça é maravilhosa, mudou meu choro em alegria, mudou minha história”.

Fish Symbol on Cross ca. 2001

Igreja Relacional, o que é isso??

Vivemos um período onde existem muitas formas de ser e viver igreja. Nesta variedade de modelos, surge a necessidade de refletir a respeito da essência da igreja, daquilo que não podemos abrir mão e o que realmente deve ser priorizado. Tenho pensado a respeito desse tema, abaixo compartilho um pouco das minhas conclusões.

Acredito que a prioridade de um discípulo de Jesus é seu relacionamento com Deus e com o próximo. A partir desses relacionamentos, o cristão irá cumprir a grande comissão e viver os propósitos de Deus na terra. Logo, se nossa prioridade são esses relacionamentos, a igreja precisa ser um lugar que encoraja e promove esse relacionamento vertical e horizontal. Dessa compreensão surgiu a expressão Igreja Relacional.

Mas uma pergunta que surge é: “Como devem ser esses relacionamentos?”

Creio que nosso relacionamento com Deus e com o próximo deve ser Intencional, constante e motivado pelo amor.

A intencionalidade é fundamental para construirmos nossos relacionamentos. Através dela seremos pró-ativos no processo de construirmos pontes com outras pessoas ao invés de levantarmos muros. Ser constante preservará nossos relacionamentos, nutrindo eles através de uma convivência sustentável e duradoura. Mas além de ser intencional e constante precisamos da motivação certa, e ela deve ser baseada no amor a Deus e ao próximo.

Pelo exposto, entendo que a Igreja deve priorizar ajudar os humanos em seu relacionamento com Deus e encorajar as pessoas a construírem relacionamentos saudáveis com outras pessoas. O reino de Deus é um reino de amigos, pois Jesus nos convida a ser seus amigos e a fazer novos amigos. Sendo assim, que nosso evangelismo, discipulado e ministério sejam a partir de nossos relacionamentos.  Que assim seja!!

amigos