Desabafo de um pai

Tenho dois filhos, Sarah com 16 anos e Miguel com 12. Ambos nasceram e seguem até o momento vivendo em Porto Alegre. Mesmo procurando estar o maior tempo possível com eles, é impossível acompanha-los o tempo todo, em algum momento eles precisam voltar da escola de ônibus ou  ir a algum local caminhando ou com transporte público. Porém, como pai, estou revoltado e ao mesmo tempo sem saber o que fazer, pois minha filha já foi assaltada 7 vezes e meu filho 3 vezes, sendo a última vez, hoje a tarde.

Minha filha já  foi assaltada indo ou voltando da escola, no trajeto até o Shopping, numa caminhada perto de uma praça de nossa residência, sempre durante o dia, seja pela manhã ou a tarde, e na maioria das vezes por delinquentes com menos de 18 anos, que usavam facas ou arma de fogo. Já o Miguel nas três vezes que foi assaltado estava indo ou voltando da escola, sempre com a mochila e o uniforme escolar. Dos 3 assaltos que Miguel sofreu, dois foram este ano.

Meus filhos estão com medo de sair de casa e nós  com medo que eles saiam sozinhos. É uma tragédia social quando adolescentes não podem ir para a escola de transporte público, por medo de serem assaltados. Que tipo de sociedade é essa, que é incapaz de garantir o acesso a escola em segurança para crianças e adolescentes??

Meus filhos estão crescendo sob a égide do medo da violência urbana. Esse é um grave sintoma que nossa sociedade caminha para a barbárie.

Infelizmente a delinquência juvenil está crescendo assustadoramente. O número de adolescentes que estão praticando assaltos é cada vez maior. Quando um garoto de 14 ou 15 anos começa a assaltar ele já escolheu o estilo de vida que quer seguir e a partir daí, as chances de mudar o rumo da vida dele são pequenas. A nossa sociedade não recupera delinquentes, ao invés disso, produz em escala cada vez maior, o número de pessoas que escolhem a criminalidade.

O que fazer????

Bem, isso merece um novo texto que em breve escreverei. Por enquanto, registro meu desabafo com essa violência urbana, cada vez maior.

Violência-urbana-e-o-medo-infantil

3 ideias sobre “Desabafo de um pai

  1. Valesca

    Que coisa Pastor. Já passei por isso, meus filhos também, e vários amigos e amigas também. Enfim nossa cidade está, parece, entregue às mãos dos criminosos. Minha filha menor tem 21 anos e eu levo e busco que nem criança e vivo cheia de cuidados pois o crime está espalhado. Concordo com o desabafo. Falta segurança pública e a impunidade é motivo de risos entre os traficantes e criminosos. Porém o uso da droga, e isso inclui todas, é o grande motivo do crime e do roubo, porque, tirando os que não gostam de trabalhar ou não tem como, há um numero maior de usuários hoje em dia, que precisam furtar qualquer coisa para trocar por maconha e cocaína, e o mais triste é ver pessoas lutando por mais liberdade por legislações que permitam o uso e etc.. Quem rouba bolsas e celulares é para trocar por algum tipo de droga. Um mundo longe de Deus , certamente. Para nós cristãos resta orar por conversão, clamar ao Pai misericórdia para as pessoas perdidas, mas estou com vergonha de morar nesta cidade e até nesta terra. Que o Senhor te dê paz e consolo. E abençoe tua familia.

  2. Leandro Ávila

    É verdade Pastor Cabral, está lamentável a situação, só nesses últimos dois meses escapei de dois assaltos, um estava na rua e corria, pois vi que estavam me seguindo e por último nesse último Domingo assaltaram o motorista da lotação onde estava. Realmente só Jesus para nos dar forças, coragem. Que Deus os abençoe continue protegendo você e sua família;

  3. Rita Lhamby

    Estamos reféns dos marginais! A população que trabalha e tem seus filhos na escola ficam assustados enquanto eles ficam impunes…
    Que mundo vivemos…

Os comentários estão fechados.