Pastoras Batistas

Após anos de debates, consultas as Seções Estaduais criou-se no Brasil Batista uma grande expectativa sobre qual decisão a Ordem dos Pastores Batistas do Brasil iria tomar sobre a filiação de pastoras.

Em Assembleias anteriores ficou decidido que cada igreja local teria autonomia para decidir se iria ou não ordenar pastoras, a OPBB preferiu não emitir opinião sobre o tema, deixou que cada igreja local legislasse sobre a matéria, mas a Ordem continuava sem recebe-las em seu quadro.

Na Assembleia de 2013 foi aprovada uma resolução que o assunto teria uma decisão final em 2014, na Assembleia de João Pessoa. Uma grande expectativa novamente foi criada, qual será a decisão que a OPBB irá tomar sobre esse assunto polêmico.

Com receio de criar uma cisão na Ordem, a diretoria apresentou uma proposta ao Conselho que consistia em deixar que cada Seção Estadual decidisse sobre a filiação ou não de pastoras. Na prática, a OPBB passa a aceitar o ingresso de pastoras em seu quadro, mas respeita as Seções que decidirem não receber a filiação de pastoras.

No Conselho fui contra a proposta, pois ela abre o caminho para o ingresso de pastoras na Ordem e também irá proporcionar que em alguns estados haja pastoras filiadas a Ordem e em outros não. Ao invés de nacionalizar os critérios, estaremos deixando que cada Seção legisle sobre o assunto.

Porém o plenário da Assembleia, por 246 votos favoráveis e 196 contrários, aprovou a proposta trazida pela Diretoria da OPBB. Com isso, fiquei duplamente frustrado, pois a partir de agora a OPBB reconhece formalmente o Pastorado Feminino e ao mesmo tempo irá conviver com seções estaduais que aceitarão a filiação de pastoras e outras que não aceitarão. Algo que irá gerar constrangimentos  entre outros problemas.

Como Presidente da Seção Gaúcha da OPBB terei a tarefa de convocar uma Assembleia específica para definir qual será a posição de nossa Seção sobre esse tema, que com certeza irá suscitar longos e tensos debates.

Por fim, quero explicar minha posição contrária ao Pastorado Feminino. Não encontro base bíblica para justificar tal posição. Procurei escutar aqueles que defendem tal posição e a maioria de seus argumentos estão relacionados a questões sociológicas, antropológicas e filosóficas. Pouco ou quase nada de hermenêutica eles utilizam para defender tal posição. Entendo que esse caminho é perigoso, pois por esses ângulos poderemos encontrar justificativas para criar uma série de outras anomalias teológicas dentro de nossas igrejas, que prefiro nem citar. Quando nossa práxis não está fundamentada numa boa hermenêutica estamos mais próximo da heresia do que da coerência bíblica.

E qual sua opinião sobre esse tema???

pastorada

24 ideias sobre “Pastoras Batistas

  1. Daniel Camargo

    Concordo contigo Pastor Cabral, sobre a ordenação feminina, pois se fosse feito desde o início, Maria mãe de Jesus deveria ter sido a 1ª apóstola não é verdade?
    Abraço e bons estudos.

  2. Luís Henrique

    Mais uma vez meu amado pastor está sendo fiel a palavra de DEUS, também concordo que o pastoreio deve ser feito somente por homens.

  3. Alexandre Xavier

    Concordo com a sua posição, pr. Cabral.
    Da mesma forma, achei revoltante e omissa a resolução da OPBB.

    De acordo com a bíblia o dizer do crente deve ser “Sim” ou “Não”, e a OPBB não resolveu nada e deixou um grande TALVEZ e cada seção estadual que se vire!

    infelizmente uma decisão puramente política e buscando “agradar a todos”!

  4. AlencaRS

    Eu gostaria de ouvir e ler mais argumentos para não ser raso em minha opinião. Em princípio sou contrário. Porém acho que não definir uma posição sobre o tema é como “lavar as mãos”.

  5. Cris

    Acho esta discussão mais sociológica do que teologica. Não precisamos disso para servir ao Senhor com alegria. Sinto meu coração cheio de alegria em ser a mulher do pastor, ou ainda a miss… (missionária).

  6. Pr. Luís Aresso

    Concordo contigo, Pastor Cabral.
    Creio que isso vai abrir grandes brechas, como aconteceu em outras igrejas. Se não há base Bíblica, está errado.

  7. Delmise Maria Porto de Souza Vasconcellos

    Oi Pastor! Mesmo sendo mulher,sou contrária a essa ordenação.Duas coisas me fazem pensar:A primeira Jesus não convidou mulheres para seguirem com ele ,apesar dele tratar bem as mulheres,falava para serem submissas. A segunda é que tem lugares que as mulheres não devem entrar e um Pastor homem entra em qualquer lugar.
    A mulher pode evangelizar,orar,ensinar,discipular,orientar,levar a palavra,mas dai a pastorear é mais difícil…Pastorear homens???? Esse para mim é um dos fatores limitantes.
    Como uma mulher ficará a frente de uma igreja,e o papel dela diante dos filhos e marido?A submissão me vem a mente …..Peço desculpas as mulheres mas esse é um papel do homem.
    Um abraço Pastor Cabral

    1. João Carlos Pinheiro

      Meu Deus Pai todo poderoso, como o mundo seria melhor se muitas mulheres virtuosas pensassem assim, grandes filhos seriam criados na presença do Senhor. Glória a Deus por Você.

  8. Luis Raul Faraci

    Os Batista, outrora o povo do Livro (A Bíblia), agora tem um principio que no está amparado amplamente por ela. A maioria se posicionou,,,,mas outras vezes, como quando fizeram o bezerro de ouro a maioria também apoio!”Então disse o Senhor a Moisés: Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste subir do Egito, se tem corrompido” (Êxodo 32:7). Será que novamente Deus desaprovará? A ditadura do socialmente correto, levara a Igreja Batista a decadência espiritual, como já aconteceu com outras igrejas que trilharam este caminho.

  9. Paulo Rogerio Venier

    Também concordo com o Pastor, pois se não há embasamento Bíblico e sim social, realmente abre prescedente para outros temas, aos quais o mundo esto louco para forçar a Igreja a aceitar.

  10. Tiago Kokimoto (@tklistico)

    Lamentável a decisão da OPBB, em diversos momentos a Ordem não se posicionou com medo de criar um racha, mas foi exatamente isso que ela fez quando propôs que cada Estado definisse o que iria fazer. A partir dessa decisão, temo inclusive, quanto a unidade da Igreja Batista no Brasil e quanto a relação entre as Sessões que disserem “sim” e aquelas que disserem “não”.

    Esse negócio de cada estado faz as suas leis é coisa de norte-americano, é uma questão de tempo para que, assim como no país dos ianques, nossa convenção se divida entre Convenção do Norte e Convenção do Sul.

    Não aprendemos com a história ainda!

  11. David Chafim

    Muito bom…

    Mas fico me perguntando oq fazer com pessoas tipo:

    Homens – Enfermeiros
    Homens – Professores
    Homens – cabeleireiros
    Homens – Designe
    Homens – Alfaiates/costureiros
    Homens – Chefe de cozinha/Cozinheiro

    ou senão outro tipo…

    Mulheres – Educadoras fisicas
    Mulheres – Pedreiras
    Mulheres – Motoristas
    Mulheres – Policiais ou Militares de uma forma geral
    Mulheres – Agricultoras
    Mulheres – Executivas multinacionais
    Mulheres – Presidentes ou presidentas Nacionais

    Isso causa sim um certo impasse entre opiniões, mas ao meu ver o grande problema não é o impasse, isso é natural e saudável até. O problema pra mim esta na indisposição que assuntos tão esdrúxulos como esse causam entre pessoas/ lideres/ pastores/ convenções/ igrejas/ estados… e assim por diante.

  12. Édipo Hummes

    Olá Pastor Cabral… Concordo em gênero, número e grau com teu posicionamento sobre a ordenação. Te aplaudo!

  13. CARLOS VALENTIN

    Muito boa matéria, parabéns. O assunto em questão virou quase uma piada, e estejam certos, vai passar sim, a ordem só esta amarelando diante da questão, e tem outros assuntos cabeludos como Pr. Cabral meio que incinuou e não falou, viva e verá.
    Mas a falta de uma definição é lavar as mãos… Isto faz sumir o que por muito tempo foi chamado de IDENTIDADE BATISTA. ABS.

  14. ASVasconcelos Soares

    Um dia triste para toda a comunidade evangélica, pois mais um passo foi dado na direção da secularização total da igreja. A ordem para que mulheres não ensinem e nem exerçam autoridade está muito clara em 1 Tm 2.11-12 e os dois argumentos do apóstolo Paulo para esta ordem estão nos versos 13 e 14, sendo o primeiro argumento: “porque Adão foi formado primeiro”, isto é, um argumento fincado da história, e não em algum costume da época. Também este argumento deixa claro que Deus fez assim desde o início, pois assim já estava em Seu projeto (“uma auxiliadora” e nunca “uma mentora”).
    O segundo argumento (verso 14) também está ligado a outro fato histórico, e a nenhum costume de época, para que ninguém diga que caducou com o tempo. Neste argumento a Bíblia (palavra de Deus)) afirma “e Adão não foi iludido/enganado, mas a mulher sim”. Como alguém poderia pensar que Paulo escrevia somente para a igreja de uma determinada época se os argumento são fincado no Édem?
    Devemos lembrar que o pecado de Adão foi justamente permitir que a cátedra da família fosse ocupada pela mulher. E isto foi justo o que Deus acusou contra Adão: “Porquanto deste ouvidos à voz de tua mulher…” (Gn 3.17). Adão nunca foi iludido ou enganado no Edem (cf 1 Tm 2.14), porém não quis enfrentar a própria mulher que instintivamente tomou a frente da família, mesmo sabendo ele que aquilo estava tudo errado.
    Hoje o mundo pressiona com o mesmo conto da velha serpente, tentando a todo custo inverter o papéis, pois o Inimigo sabe que assim trará a Ira de Deus sobre a igreja, e aquele que vem somente para matar, roubar e destruir deseja ver o povo de Deus sendo destruído. A fórmula é a mesma de Balaão. Está armada a cilada e muitos estão caindo nela “Quando vier o Filho do Homem, porventura, achará fé na terra???” (Lc 18.8).
    Triste, porém ciente de que Deus dirige a história, para horror dos que a Ele afrontam.
    A.S.Vasconcelos Soares

  15. Joversi Ferreira

    Minha pergunta ao querido colega é como permanecer unido à OPBB mesmo que minha regional seja contra a ordenação? Realmente não vejo meio. Tb estou de saída. Na próxima reunião entregarei meu pedido.
    A propósito, aos interessados, já temos movimentos para formação de novas ordens. Se algum colega desejar informações, me procure. O nome é fácil de achar no Facebook ou Skype.
    Graça e paz e que o Senhor tenha misericórdia de nós.

  16. Luis Carlos Soares

    Olá Pr. Cabral e demais seguidores deste blog. Sou Luis Carlos evangelista da Igreja Presbiteriana do Brasil, servindo ao Senhor em um campo missionário de Sergipe. Creio que todos os irmãos Batista já devem saber da posição deste orgão tão importante como é o OPBB. Há um ditado importante no meio social que diz: “Quem cala consente”. É triste ver muitos seguimentos renomados do cristianismo se afastando cada vez mais das escrituras

  17. Sergio de Oliveira salvadio

    …Onde falham os homens, dominam as mulheres. A difilculdade seria esta, ou onde coloca-las?
    Rosa Cruz? Lions?

  18. João Marcos

    Sua frase “Por fim, quero explicar minha posição contrária ao Pastorado Feminino. Não encontro base bíblica para justificar tal posição” soou mal, apesar de no texto todo o sr deixar claro o que quis dizer.
    Mas afinal, concordo com a Bíblia, assim como você!

Os comentários estão fechados.