Violência nos Estádios, Cidades e Estradas

Desde a briga entre as torcidas do Vasco e Atlético Paranaense, a imprensa está fazendo várias reportagens sobre a violência nos estádios, cobrando providências e criticando dirigentes e torcidas organizadas. Toda essa repercussão é decorrente de que o futebol é um produto comercial caríssimo, exibido em rede nacional várias vezes por semana, as brigas mostradas pelos diferentes programas de televisão assustam e revoltam a opinião pública.

Entretanto a violência nos estádios comparada com a violência das cidades e das estradas é extremamente menor. Estudos recentes divulgados em vários jornais, como o Estadão na edição de 21 de novembro de 2013, afirmam que nos últimos 30 anos morreram nas estradas brasileiras, em função de acidentes automobilísticos, 980.838 pessoas. Outro dado assustador divulgada pelo site Mapa da Violência refere-se ao número de homicídios nos últimos 30 anos, segundo o site foram 1.145.908 assassinatos em todo Brasil. Somando esses dois dados, temos nas últimas três décadas mais de 2 milhões de vítimas da violência nas cidades e nas estradas.

Segundo o levantamento do site Lancenet nos últimos 24 anos morreram nos estádios ou no seu entorno 155 pessoas em função de brigas entre torcedores. Quando comparamos tais números, percebemos que a violência é um fenômeno social, disseminada por todos segmentos da nossa sociedade, o que muito preocupa-me e me levou a escrever este artigo.

A violência nos estádios é um singelo reflexo da violência disseminada em nossa sociedade. Acabar com as torcidas organizadas não irá eliminar as brigas nos campos de futebol, assim como aumentar as multas de trânsito não tem ajudado a diminuir o número de óbitos nas estradas. O que precisamos para reverter esse quadro, é mudança de valores.

Alguns dizem que a solução para o fim da violência é a educação, mas não acredito que a educação formal por si só resolva o grave problema da violência em nosso país. Precisamos é de mudança de valores e princípios morais, que não são ensinados nas escolas formais, mas sim nas igrejas. É necessário entender e aplicar na vida um princípio ensinado por Jesus Cristo: “Assim, em tudo, façam aos outros, o que vocês querem que eles lhes façam” Mt 7.12. Esse princípio, junto com tantos outros que estão nas Escrituras, irão ajudar a construirmos uma cultura de respeito a vida e ao próximo, algo que está faltando, nas cidades, estradas e também nos estádios.violencia